Pedro Victor Brandão apresenta sua segunda exposição individual na Portas Vilaseca Galeria

O artista representado PEDRO VICTOR BRANDÃO apresenta sua segunda exposição individual na PORTAS VILASECA GALERIA.
 
A mostra “Forjada e Outras Formas ocupa os três andares da galeria reunindo trabalhos em diversos meios, em sua maioria inéditos. Entre as peças, a relação entre abstração e construção de valor se faz presente atualizada pela pesquisa do artista sobre as atuais paisagens políticas e econômicas. 
 
No térreo o artista expõe a série que dá nome à exposição, “Forjada” (2019). Trata-se de uma fotocomposição a partir de imagens de prataria oriundas de arquivo documental de leilões dos anos 70. O conjunto de assemblages feitas com papelão e telas de celular quebradas “Sem Conserto” (2018), da série “Tela Preparada” (2012-2018) é exibida uma grande área do mesmo pavimento. Ainda nesta primeira sala está a série “Pequenas Partes” (2019), na qual se registra detalhes de componentes eletrônicos comuns, mas muito pouco vistos. “Retornável” (2019) apresenta três desenhos em quadros de aviso – dentro de cada um deles há um token criptográfico único emitido pelo artista, associado a um processo de capitalização. A pintura “Sem Título” (2019) da série “Totalidades” relaciona campos de cor aos fluxos monetários globais. O vídeo “Falso Profundo para Política Rasa” (2019), da série “Detremura” utiliza-se da infame técnica deepfake, pela qual uma mistura de faces de políticos autoritários é criada por inteligência artificial. A faixa de áudio “Notificações” (2019), desta mesma série, ambienta todo o espaço. 
 
O segundo andar é dedicado à série “WYBINWYS” (What you buy is not what you see). No total de dez peças inéditas, o artista sugere um percurso que testa a atenção do visitante para fotografias em gelatina e prata relacionadas à ação da gravidade. 
 
A fotografia “Sem Título #2” (2011), da série “Vista para o Nada” está no hall do terceiro andar e, em seu interior, uma tiragem das cédulas avulsas da série “Pintura Antifurto” disponível para distribuição gratuita entre os visitantes. 
 
O ensaio crítico assinado pelo curador e editor Leonardo Araujo Beserra aborda a exposição como se ela fosse um meio próprio de aprender sobre a financeirização da vida. Antes de haver uma popularização das práticas econômicas sem Estado por vias criptográficas, a vida estava administrada pelas bolsas, bancos, seguradoras e governos, agora ela também pode ser abstraída por hackers, artistas e especuladores piratas de um submundo descentralizado. A fim de compreender como tais dispositivos funcionam, o texto intenta pensar uma pedagogia para a autonomia financeira por meio de uma prática narrativa metalinguística a partir desta mostra “Forjada e Outras Formas”.
 
Pedro Victor Brandão (*1985, Rio de Janeiro) é artista visual. Ele é graduado em Fotografia pela UNESA (Rio de Janeiro, 2009), atendeu aos cursos livres da EAV Parque Lage (Rio de Janeiro, 2006-2010 e 2015); e também à Universidade de Verão no Capacete (Rio de Janeiro, 2012). Desenvolve séries de trabalhos considerando diferentes paisagens políticas em pesquisas sobre economia, direito à cidade, cibernética social e a atual natureza manipulável da imagem técnica. Apresentou as exposições individuais Forjada e Outras Formas (Portas Vilaseca, Rio de Janeiro, 2019), Tela Preparada (Sé, São Paulo, 2016), e Pintura Antifurto (Casa França-Brasil, Rio de Janeiro, 2011), entre outras. Participou de várias exposições coletivas, entre elas Take Me (I’m Yours) (Villa Medici, Roma, 2018), Vivemos na melhor cidade da América do Sul (Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, 2017), DURA LEX, SED LEX (Centro Cultural Parque de España, Rosario, 2017), Estudos sobre o mercadismo (Casa Tomada, São Paulo, 2016) e Novas Aquisições 2012/2014 – Coleção Gilberto Chateaubriand (Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 2014). Como artista residente participou do Pivô Arte e Pesquisa (São Paulo, 2018), Residência Artística FAAP (São Paulo, 2017), Lastro Centroamérica (Cidade do Panamá, 2015), Z/KU – Zentrum für Kunst und Urbanistik (Berlim, 2014), Terra UNA, (Liberdade, 2013) e Cité Internationale des Arts (Paris, 2012). Vive e trabalha no Rio de Janeiro. 
 
Leonardo Araujo Beserra é escritor, curador e editor independente. Cursou parcialmente Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo e graduou-se em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes. Realizou em 2009 a curadoria da exposição Noves_Fora no espaço independente Beco da Arte de São Paulo, no qual trabalhou por 3 anos. Foi assistente no Núcleo de Pesquisa e Crítica em História da Arte na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Coeditou a revista de crítica de arte paulista Maré em 2012. Desenvolveu o projeto expositivo Estruturas Possíveis: um diálogo crítico-criativo com o artista Bruno Baptistelli, na Oficina Cultural Oswald de Andrade de São Paulo em 2014. Participou da exposição Lastro Em Campo no Sesc Consolação, sobre residência artística realizada no Panamá, Guatemala e México em 2015. Participa do Grupo de Estudos Práticos em Linguagem Experimental em que desenvolveu o projeto Gramatologia em 2016 na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Realizou o projeto Gravidade [espécies de espaços], concebido conjuntamente com o artista Daniel de Paula Mendes na Colônia da Cratera, Parelheiros, São Paulo, por meio do prêmio ProAc Artes Visuais. Curou a exposição próprio-impróprio dos artistas Raphael Escobar e Frederico Filippi na Galeria Leme. Como editor da GLAC edições, editor, junto ao antropólogo Alex Flynn, o livro Claire Fontaine: em vista de uma prática política, e outros livros. E atualmente é membro do Grupo de Críticos do Centro Cultural São Paulo.
Exposição "Forjada e outras formas" - Artista Pedro Victor Brandão - Galeria Portas Vilaseca
Obra “Sem Conserto #34”, da série “Tela Preparada”; papelão, fita adesiva e 12 telas de telefone celular quebradas; 35 x 56 cm; edição única; 2018.
Exposição "Forjada e outras formas" - Artista Pedro Victor Brandão - Galeria Portas Vilaseca
Obra “Sem título”, da série “Forjada” (detalhe); políptico de 9 partes; impressão em jato de tinta sobre papel de algodão; 162 x 162 cm; 1/3 + 1 PA; 2019
Exposição "Forjada e outras formas" - Artista Pedro Victor Brandão - Galeria Portas Vilaseca
Obra “Cachoeria #4”, da série “WYBINWYS”; madeira, película refratora, parafusos de aço e fotografia em gelatina e prata; 26,5 x 14,5 x 3 cm; peça única; 2019.

 

SERVIÇO:

Exposição individual de arte contemporânea
Forjada e Outras Formas

Artista: Pedro Victor Brandão

Abertura: 30 de maio de 2019 às 19h.

Exposição: 31 de maio a 06 de julho de 2019.

Curadores: Pedro Victor Brandão.

Ensaio crítico: Leonardo Araujo Beserra

Local: Portas Vilaseca Galeria.

Endereço: Rua Dona Mariana, 137, casa 2, Botafogo, 22280-020, Rio de Janeiro.

Horário: De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h e aos sábados das 11h às 14h.

Informações: Tel.: (21) 2274-5965

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.